Terrenos no metaverso movimentam US$ 100 milhões em uma semana e já são tendência mais quente do mercado de NFTs

O camaleônico mercado de NFTs (tokens não fungíveis) teve várias tendências ao longo desse ano. Começou com a febre dos colecionáveis liderada pelos Crypto Punks, a qual se seguiram outras coleções de avatares digitais, entre as quais a de maior destaque foi a Bored Ape Yacht Club.

Houve também o sucesso do NBA Top Shot no campo esportivo. O Art Blocks apresentou as cores e formas algortimicamente programadas da arte generativa. E os games “play-to-earn” renovaram a utilidade dos tokens não fungíveis tornando-os um elemento central da economia dos jogos em blockchain e deram um novo fôlego ao mercado.

No mês de novembro, enquanto as vendas de colecionáveis caíram 16% em relação a outubro, negociações envolvendo NFTs de jogos cresceram 71%, ultrapassando pela primeira vez a marca de US$ 1 bilhão, de acordo com dados do relatório mensal do Dapp Radar.

Em 30 de novembro, a capitalização do mercado das 100 principais coleções de NFT nos maiores ecossistemas do mercado de criptomoedas somava US$ 18 bilhões, um crescimento de 6,6% em relação ao recorde registrado em outubro.

Diante desse número é necessário destacar que o aumento de 228% da capitalização de mercado dos mundos virtuais desempenhou um papel fundamental no crescimento do setor. E as vendas de terrenos do metaverso ao longo da última semana de novembro revelam que os imóveis virtuais são a tendência mais quente do mercado de NFTs no momento, conforme afirma uma postagem no blog do Dapp Radar publicada na terça-feira:

“Alcançando números recordes de vendas e com os preços dos NFTs em constante aumento, os mundos virtuais são a nova principal categoria na indústria de criptomoedas. A onda de atenção para mundos virtuais como The Sandbox e Decentraland começou com a mudança da marca do Facebook para Meta.”

Em 30 de novembro, no dia seguinte à inauguração da versão alfa de The Sandbox, um terreno na plataforma foi vendido por US$ 4,3 milhões. Tratou-se de um recorde absoluto no reino dos metaversos descentralizados.

Outra grande semana para o #metaverso. Obrigado @WSJ e @KonradPutzier por cobrir esta aquisição de terras recorde no @TheSandboxGame. Coisas emocionantes virão…

O negócio fechado entre a Republic Realm, uma empresa especializada em imóveis no metaverso, e a antiga firma de videogames Atari, desbancou o recorde anterior que fora firmado há apenas alguns dias atrás, quando o Metaverse Group, uma subsidiária do grupo canadense Tokens.com, comprou lotes virtuais na Fashion Street do Decentraland por US$ 2,43 milhões.

Entre uma venda e outra,um usuário identificado como Lunacian #78512 gastou 550 ETH (US$ 2,5 milhões) para adquirir um terreno Gênesis no game Axie Infinity.

E nas últimas 24 horas, uma Fantasy Island do The Sandbox foi comprada por 60 ETH (US$ 276.600) e dois terrenos em Decentraland foram vendidos respectivamente por US$ 220.500 e US$ 89.400. Nesse mesmo período, o primeiro movimentou um total de US$ 7,39 milhões e o segundo, US$ 1,63 milhão, o que os coloca na 2ª e na 14ª posição do ranking de coleções de NFTs mais populares do Dapp Radar

Apenas na última semana de novembro, ambos movimentaram mais de US$ 100 milhões. Pode parecer pouco diante das cifras superlativas do mercado de criptomoedas, mas, segundo o Dapp Radar, a revolução do metaverso encontra-se em estágio primário e há muito mais ainda por vir:

“Esta é apenas a ponta do iceberg que empurrou o termo metaverso para o mainstream. Os mundos virtuais carregam um potencial enorme, e estamos apenas começando a ver toda a gama de casos de uso para as terras no metaverso. O potencial é quase ilimitado, desde simplesmente construir uma propriedade sobre o seu lote, como em Minecraft, até monetizar de fato sua propriedade no metaverso por meio de anúncios.”

Solana

Os números acima tratam apenas dos dois principais metaversos baseados na rede Ethereum. No entanto, novos ambientes virtuais estão sendo construídos em outras redes. Especialmente na Solana (SOL), a atual grande rival do Ethereum (ETH).

O “Portals” se apresenta como um metaverso baseado na Solana que é um híbrido de “Animal Crossing com Sim City, Sandbox e Decentraland”. A plataforma foi lançada na sexta-feira e já vendeu quase US$ 10 milhões em NFTs: $ 1,65 milhão por meio de uma oferta inicial de 5.000 NFTs, e cerca de US$ 7,5 milhões em vendas secundárias no marketplace de NFTs da Solana Magic Eden. Esses números são suficiente para para colocá-lo em terceiro lugar, muito próximo de Decentraland, na lista de NFTs mais vendidos na semana passada.

O próprio Magic Eden dá uma boa medida do potencial do mercado de NFTs na Solana. Inaugurado há quatro meses, o marketplace tem menos da metade dos usuários que o líder do mercado de NFTs do Ethereum, o OpenSea, mas já está processando o dobro de transações, segundo Li Jin, co-fundadora do Variant Fund.

Conforme noticiou o Cointelegraph Brasil recentemente, além de solucionar questões críticas do Ethereum de escalabilidade e do alto custo do gas, cada transação na blockchain da Solana gasta menos energia do que fazer duas pesquisas no Google através de um computador pessoal. O metaverso será também um multiverso, com diversas plataformas oferecendo experiências diferentes e paralelas aos usuários.

LEIA MAIS

Direcione seus links para OKEx em artigos, blogs e vídeos, ou coloque anúncio em seu site. O melhor programa de afiliados está na OKEx com comissões de 60%, as mais altas do mercado.

Obtenha seu link agora na OKEx!





Fonte: cointelegraph.com.br

Comments (No)

Leave a Reply