Ripple e Nelnet lançam fundo de US$ 44 milhões para compensação de carbono para indústria de criptomoedas

A empresa de pagamentos Blockchain, Ripple, anunciou uma parceria ambiental, social e de governança (ESG) de US$ 44 milhões com o provedor de fintech Nelnet Renewable Energy para financiar a adoção de iniciativas de energia solar ambientalmente conscientes nos Estados Unidos.

De acordo com o anúncio, o novo fundo deve compensar mais de 1,5 milhão de toneladas de dióxido de carbono ao longo de 35 anos, o equivalente ao uso de energia de 180.635 casas por um ano.

Em março de 2021, a Nelnet Inc. recebeu uma acreditação E1 ESG honorável do conselho de avaliação da S&P Global Ratings para o seu fundo de capital de imposto solar de US$ 9,9 milhões. O projeto envolve o apoio financeiro para construir quatro projetos de energia solar fotovoltaica em no norte do estado de Nova Iorque.

A avaliação baseia-se em três parâmetros de prioridades ambientais: transparência, governança e mitigação, para os quais o projeto pontuou 88, 86 e 80, respectivamente, de um máximo de 100.

Ken Weber, chefe de impacto social da Ripple, falou sobre o precedente ambiental que a parceria com a Nelnet poderia instigar no mercado:

“Estamos entusiasmados em trabalhar com a Nelnet enquanto buscamos nosso compromisso de reduzir a pegada de carbono dos serviços financeiros globalmente e cumprir a promessa de uma indústria de criptomoeda com carbono negativo.”

Em outubro de 2020, Weber disse à Cointelegraph que a Ripple pratica a consciência ambiental por meio da compra de compensações de carbono e da escolha de produtos e serviços sustentáveis, além de investir em tecnologia de remoção de carbono. Na mesma época, a empresa também traçou planos para se tornar carbono líquido zero até 2030.

Em abril de 2021, Ripple aderiu ao Acordo Climático das Criptomoedas (Crypto Climate Accord, em inglês) – uma iniciativa inspirada nos valores do Acordo Climático de Paris – que reuniu um consórcio de 20 empresas dos setores de criptomoedas, finanças, tecnologia e energia em torno do objetivo de trazer todas as blockchains para a energia totalmente renovável até 2025, bem como evoluir a criptosfera para carbono zero líquido até 2040.

Para obter uma maior percepção da importância das medidas de sustentabilidade ambiental neste setor, Cointelegraph conversou com Peter Zhou, cientista-chefe da VeChain.

Zhou compartilhou sua perspectiva sobre as empresas de criptomoedas e blockchain que adotam sistemas abertos, transparentes e responsáveis ​​para rastreamento e relatórios de carbono:

“Em busca de nosso objetivo de cultivar um planeta mais saudável por meio de tecnologias verdes, pretendemos provar que uma plataforma de blockchain pode apoiar negócios verdes e ser uma infraestrutura verdadeiramente sustentável para as empresas criarem suas soluções de contrato inteligentes.”

A VeChain publicou recentemente um relatório que compartilha a pegada de carbono de toda a rede pública de blockchain da VeChainThor, resumindo que “as emissões totais de carbono por ano geradas por VeChainThor é de cerca de 4,58 toneladas métricas, aproximadamente 2,4% da emissão de carbono gerada pela mineração de um único Bitcoin.”

LEIA MAIS: 

Direcione seus links para OKEx em artigos, blogs e vídeos, ou coloque anúncio em seu site. O melhor programa de afiliados está na OKEx com comissões de 60%, as mais altas do mercado.

Obtenha seu link agora na OKEx!



Fonte: cointelegraph.com.br

Comments (No)

Leave a Reply