Reabertura de escolas não deve reduzir desemprego nos EUA, diz BofA – Money Times


Ônibus escolar
Secundário: para o BofA, outros fatores pesam mais no mercado de trabalho dos EUA, do que a reabertura das escolas (Imagem: Pixabay/ Taken)

O Bank of America (BofA) está cético quanto à possibilidade de que a reabertura das escolas reduza o desemprego nos Estados Unidos. Em um relatório enviado a clientes, o banco afirma que outros fatores terão mais influência na recuperação de postos de trabalho.

O BofA lembra que o mercado, em geral, ficou bastante frustrado com a criação de 266 mil vagas em abril, quando o consenso indicava 1 milhão. A instituição recorre a um estudo recente do Peterson Institute for International Economics sobre o impacto da Covi-19 em famílias com crianças pequenas – abaixo dos 13 anos de idade.

A conclusão do estudo é que há poucas evidências de que o fechamento das escolas e a consequente necessidade de cuidar dos filhos pequenos gerou um aumento desproporcional do desemprego de pais e mães.

Baixa correlação

Segundo o estudo citado pelo BofA, a necessidade de cuidar de crianças pequenas que tiveram suas aulas suspensas explica apenas 2% dos 3,6 milhões de mulheres que perderam o emprego durante a pandemia.

A Criptomoeda da Loteria Infinita

Em parte, segundo o banco, isso é explicado pela pequena participação dessas mulheres no mercado de trabalho, representando 12% da população empregada nos EUA.

Entre os homens, o BofA destaca que a situação dos homens com filhos pequenos é até melhor que a média, pois sua taxa de desemprego é mais baixa que a do mercado.

Para o BofA, o estudo do Peterson Institute permite acreditar que outros fatores pesaram mais no mercado de trabalho, que a reabertura das escolas. Entre eles, estão o menor medo de contrair o coronavírus, devido ao avanço da vacinação, e o fim dos auxílios emergenciais pagos aos mais vulneráveis.



Source link

Comments (No)

Leave a Reply