Nubank fecha parceria e vai oferecer compra e venda de Bitcoin e Ethereum para seus clientes

O Nubank, um dos maiores bancos digitais do Brasil e da América Latina, anunciou que fechou uma parceria com a Paxos para permitir que os clientes do banco possam comprar, vender e armazenar criptomoedas diretamente pelo Nubank.

Segundo um comunicado do Nubank encaminhado ao Cointelegraph, a compra de Bitcoin e Ethereum poderá ser feita a partir de R$ 1 e será disponiblilizada ainda no mês de maio e terá sua implementção integral até o final de junho.

“Não existem dúvidas que as criptomoedas são uma tendência crescente na América Latina. Temos acompanhado o mercado de perto e acreditamos que existe um potencial transformacional na região”, explica David Velez, CEO e fundador do Nubank.

O Nubank informou ainda que a integração com criptomoedas visa a ampliar e melhorar o acesso a esse mercado crescente, eliminando complexidade e fricções para que os clientes comprem, mantenham e vendam moedas digitais por meio do app, sem a necessidade de abrir novas contas ou transferir dinheiro.

“Para expandir as possibilidades além de Bitcoin e Ethereum, as criptomoedas mais populares, a empresa fará frequentemente um trabalho de curadoria para adicionar outras no futuro”, afirmou o Nubank

Por meio de um conjunto de APIs a Paxos permitirá ao Nubank a possibilidade de oferecer serviços com criptomoedas para os clientes assim como fazem o Mercado Livre e o PayPal também em parceria com a Paxos.

“Estamos empolgados com esta parceria com o Nubank para oferecer aos seus mais de 50 milhões de clientes no Brasil uma experiência de negociação segura e acessível para transação de criptomoedas. O alcance e o impacto da empresa no país garantem que ainda mais pessoas possam mergulhar neste universo. Este é um movimento estratégico não apenas para o Nubank, mas para uma aceleração ainda mais veloz da adoção de criptomoedas na região”, afirma Charles Cascarilla, Co-Founder & CEO da Paxos.

1% em Bitcoin

Juntamente ao lançamento da experiência exclusiva para transação de criptomoedas aos seus clientes, o Nubank anunciou a alocação de aproximadamente 1% em Bitcoins por meio do caixa da Nu Holdings, empresa que controla o Grupo Nubank.

“Esse movimento reforça a convicção da empresa no potencial atual e futuro do Bitcoin na disrupção dos serviços financeiros na região”, afirmou o Nubank

Embora essa seja a primeira vez que o Nubank oferecerá compra e venda de Bitcoin e Ethereum diretamente para seus clientes, a entrada do banco no mercado de criptoativos não é nova já que a instituição ofertava aos seus clientes a compra de fundos de investimento com exposição em criptoativos pela Nulnvest.

Além disso as criptomoedas já estão no radar do Nubank desde setembro de 2020, quando o banco negociou a compra da corretora de investimentos Easynvest, antigo nome da Nulnvest.

Com a aquisição, ainda no ano passado, o Nubank passou a ofertar também o QBTC11, um ETF 100% alocado em Bitcoin, gerenciado pela QR Asset Management, pertencente ao grupo QR Capital e coordenado pelo BTG Pactual, Vitreo, Easynvest, Órama, Modal Mais e Inter.

No último dia 14 de fevereiro, em um registro de valores mobiliários, o conglomerado industrial Warren Buffett revelou que havia comprado US$ 1 bilhão em ações do Nubank no quarto trimestre de 2021.

Bancos querem vender cripto

Outro banco nacional que também vai oferecer compra e venda de Bitcoin para seus clientes é o BTG Pactual. Recentemente o presidente do BTG Pactual, Roberto Sallouti, anunciou que o banco vai lançar, daqui a 2 meses, sua própria exchange de Bitcoin e criptomoedas.

“Teremos nossa plataforma de negociação criptomoedas em até dois meses…. a proposta do BTG é ter uma plataforma de investimento completa para nossos clientes”, revelou.

Como já anunciado pelo BTG, inicialmente a plataforma, que se chamará Mynt, terá suporte inicial para Bitcoin e Ethereum. Os clientes do BTG Pactual poderão acessar o Mynt por meio dos sites e aplicativos do BTG Pactual digital e do banco digital BTG+.

“Nosso objetivo é oferecer acesso a investimentos em criptoativos de forma simples, direta e segura. Além disso, teremos conteúdo para as pessoas saberem como investir em novos cenários do mercado financeiro”, disse André Portilho, sócio do BTG. 

O BTG Pactual diz que sua decisão de oferecer a plataforma de criptomoedas é baseada na demanda do mercado e também se baseia em sua reputação como “pioneira” em ativos digitais.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Fonte: cointelegraph.com.br