NFTs da Azuki perdem mais de 70% em valor de mercado após criador revelar envolvimento com coleções ‘duvidosas’

Assim como o mercado de criptomoedas, abalado pelo colapso da Terra (LUNA), o setor de NFTs (tokens não fungíveis) também está passando por momentos dramáticos em função da desvalorização massiva e fulminante de um projeto que faz parte do top 10 em capitalização de mercado. 

Embora em proporções substancialmente menores ao sofrimento imposto aos detentores do LUNA e da stablecoin TerraUSD (UST), os investidores da Azuki viram o preço-base dos NFTs da coleção declinar vertiginosamente nas últimas horas depois que o seu criador pseudônimo, autonomeado Zagabond, revelou seu envolvimento com coleções de caráter duvidoso no passado em uma postagem publicada no seu blog pessoal, na segunda-feira, 9.

Nas últimas 24 horas, o preço mínimo pago por um NFT da coleção declinou 24,3%. No acumulado dos últimos sete dias, a desvalorização já chega a 73%, de acordo com dados da plataforma de monitoramento do mercado de NFTs CryptoSlam.

Na tarde desta quarta-feira, um NFT da Azuki pode ser comprado por 7,5 ETH (aproximadamente R$ 89.920 na cotação atual. Há uma semana atrás, teria sido necessário desembolsar 28,45 ETH (aproximadamente R$ 321.200).

Por outro lado, o volume de negociação registra um crescimento de 37,7% nas últimas 24 horas. O preço em queda associado ao aumento do volume negociado indica que muitos colecionadores estão se desfazendo dos NFTs da coleção.

De acordo com dados da plataforma NFT Floor Price, a Azuki caiu para a 10ª posição do ranking de NFTs por capitalização de mercado.

Passado duvidoso

O criador da coleção que já movimentou mais de R$ 900 milhões até agora, apesar da recente desvalorização, provocou a desvalorização do seu próprio produto depois de revelar que havia trabalhado anteriormente em três projetos de NFTs abandonados – e qualificados por alguns integrantes da comunidade cripto como coleções de caráter no mínimo duvidoso.

Dois dos projetos em questão eram imitações das populares coleção CryptoPunks. No texto, Zagabond menciona que tanto a CryptoPhunks quanto a CryptoZunks teriam fracassado devido à falta de engajamento da comunidade, a deserções de membros da equipe e às altas taxas de gás cobradas por transações na rede Ethereum (ETH).

Em uma postagem no Twitter, o pseudônimo investigador de fraudes envolvendo criptoativos, ZachXBT (@zachxbt), acusou “Zagabond” de envolvimento em tentativas de lesar investidores através do golpe de rug pull (puxada de tapete, em tradução literal), que consiste no sumiço dos desenvolvedores, abandonando os projetos e levando consigo os fundos dos investidores.

Em sua resposta, Zagabond rebateu a acusação, afirmando não ter agido deliberadamente de má-fé em nenhum dos três casos.

Por favor, leia meu post na íntegra. Entregamos tudo o que foi prometido nessas coleções. Eu gostaria que elas tivessem sido mais bem sucedidas? É claro. No final das contas, não houve engajamento por parte do mercado, mas isso não significa que seja uma puxada de tapete 

— ZAGABOND.ETH (@ZAGABOND)

No texto em que revela suas experiências fracassadas, Zagabond diz que a CryptoPhunks era uma “paródia” da popular coleção original. E a CryptoZunks teria tido sua evolução “limitada devido aos custos das taxas de transação no Ethereum, prejudicando a experiência do usuário.”

Azuki

Lançada em 12 de janeiro, a coleção de NFTs inspirada na estética dos animes movimentou R$ 3,7 bilhões milhões até esta quarta-feira, 11, de acordo com o CryptoSlam. O NFT mais caro vendido no mês de março foi o Azuki #9605. Vendido por R$ 7,2 milhões, o item superou as vendas de NFTs da Borede Ape Yacht Club (BAYC) e dos próprios Crypto Punks, as duas coleções mais valiosas do mercado.

Aliás, o propósito e o roadmap do Azuki são claramente inspirados no sucesso do BAYC. Os NFTs da Azuki são apresentados como uma “identidade para o metaverso” e franqueiam acesso ao “The Garden” – um espaço virtual que dá acesso a produtos físicos e digitais exclusivos, eventos presenciais e outros benefícios que serão revelados ao longo do tempo. O lançamento de um token próprio, o BEAN, faz parte dos planos.

Spin-off da Azuki, a coleção Beanz também se desvalorizou com as revelações de Zagabond. Os “feijões” tem um propósito similar aos NFTs da coleção Serum, um spin-off do BAYC que desbloqueia recursos adicionais dos NFTs das coleções da qual é derivada. No caso do BAYC, quando combinado ao Bored Ape original, o Serum gera um NFT da coleção Mutant Ape Yacht Club (MAYC).

Os NFTs da Beanz desvalorizaram 77% nos últimos sete dias, e agora são negociados por 0,9 ETH (aproximadamente R$ 10.161).

Apesar do impacto das revelações do seu criador, a recente desvalorização da Azuki está em conformidade com a tendência atual de desaceleração do mercado de NFTs. Na semana passada, o volume negociado de tokens não fungíveis recuou 30%, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil recentemente.

LEIA MAIS





Fonte: cointelegraph.com.br