‘Não sei como chegam a esses números’

O CEO e fundador da exchange de criptomoedas Binance, Changpeng Zhao, o CZ, foi ao Twitter domingo (26) se pronunciar em relação a uma suposta dilapidação de cerca de US$ 75 bilhões de seu patrimônio durante o período de baixa que o mercado de criptomoedas atravessa. A estimativa foi feita pelo Bloomberg Billionaires Index e foi usada como objeto de questionamento feito pelo jornal The Guardian em uma entrevista com CZ em Londres, publicada sábado (25).  

“US$ 75 bilhões, ‘Na verdade, não tenho ideia de como eles chegaram a esses números. Você precisa entender que o patrimônio líquido são apenas estimativas. Quando olho para minha carteira, não tenho nada perto de nenhum desses números’”, compartilhou CZ.

De acordo com a matéria, a perda do CEO da Binance, baseada na sua participação na empresa, 90%, e no controle das ações na bolsa dos Estados Unidos, teria reduzido a fortuna do empresário para US$ 20,6 bilhões, o que, neste caso, representaria uma perda em torno de 79%.

CZ disse à reportagem que está viajando de país a país e se encontrando com “diferentes funcionários de governos, reguladores”, o que foi classificado pelo The Guardian como uma missão de convencimento e que as conversas, muitas vezes, ficam no nível da semântica, o que justificaria o suposto “escrutínio” dele e da empresa. 

Questionado sobre a lavagem de dinheiro através das criptomoedas, CZ disse que:

“A palavra é muito diferente em diferentes países, com certeza a Binance pode fazer um trabalho bom o suficiente para que os reguladores fiquem felizes.”

Em relação à interrupção determinada em junho do ano passado pela Autoridade de Conduta Financeira no que diz respeito a todas as atividades regulamentadas na Grã-Bretanha, sob o argumento de que a empresa “não era capaz de ser efetivamente supervisionada”, CZ afirmou que não desistiu e que a Binance está buscando licença para operar.  

O jornal lembrou, no entanto, que o empresário se referia à sua carteira criptográfica e que, embora a blockchain seja tecnicamente pública, a maioria dos grandes investidores mantém suas carteiras sob pseudônimo e, no caso da carteira de Zhao, ela também não foi identificada. 

A publicação também falou em “falta de clareza” a respeito da estrutura da holding, registrada na Ilhas Cayman ao mesmo tempo que se apresenta como “descentralizada”, além da separação entre a plataforma principal e a binance.com, cuja base operacional não seria conhecida. 

Questionado, o CEO da Binance voltou a rechaçar o relatório publicado recentemente pela Reuters dizendo que a plataforma serviu com canal de lavagem de, pelo menos, US$ 2,33 bilhões. 

“Pedimos uma lista de transações, não apenas uma lista de nomes. Eles forneceram zero”, disparou. 

Dando como certa a permanência das criptomoedas, apesar de admitir falhas no mercado, o empresário reforçou a necessidade de educação financeira e manifestou respeito aos investidores que perderam suas aplicações no mercado de baixa. 

“Temos total simpatia por qualquer pessoa que tenha perdido dinheiro negociando em qualquer mercado, incluindo bolsas de valores”, acrescentou.  

No Brasil a Binance anunciou um novo parceiro para efetuar o gateway relacionado a saques e depósitos em reais para os clientes da exchange no país. A nova parceira de serviços de pagamentos é a Latam Gateway, em substituição à Capitual, após um impasse supostamente envolvendo a solicitação dos dados cadastrais dos usuários brasileiros da plataforma, que teria sido negada pela Binance, embora a Capitual tenha alegado que a solicitação aconteceu em atendimento a uma determinação do Banco Central, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil.  

LEIA MAIS:

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Fonte: cointelegraph.com.br