Legislador brasileiro pretende tornar o Bitcoin uma ‘moeda de pagamento’ legal

Legisladores no Brasil estão trabalhando na criação de um marco regulatório que facilitaria o investimento Bitcoin e outras criptomoedas, ao mesmo tempo em que torna mais difícil para golpistas e hackers.

Legislativo do Brasil aprovou recentemente o projeto de lei de Projeto de Lei 2.303 / 15, que busca regular moedas digitais. O projeto foi originalmente apresentado pelo deputado Expedito Netto. Mas agora o deputado Aureo Ribeiro do Solidariedade Partido propôs um projeto atualizado que busca dar status legal ao Bitcoin como um “moeda de pagamento” no país.

No momento, Bitcoin não é regulamentado no Brasil e seu uso no comércio é desencorajado. A nova lei, se aprovada, daria ao Bitcoin uma posição legal no país pela primeira vez. O projeto de lei, no entanto, deixa de exigir que o Bitcoin seja reconhecido como “proposta legal” (ou seja, uma moeda oficial sancionada pelo Estado), embora não esteja claro como uma “moeda de pagamento” seria definida pela nova lei.

Ribeiro, no entanto, sugeriu que o projeto de lei forneceria ao Bitcoin proteção legal suficiente para ser aceito em todo o Brasil, assim como moedas fiduciárias como o real brasileiro ou dólares americanos.

“Queremos separar o trigo do joio, criar regulamentos para que você possa transacionar, saber onde você está comprando, com quem você está negociando, e ter esse ativo para comprar uma casa, um carro, [or] ir ao McDonald’s para comprar um hambúrguer”, disse Ribeiro em um entrevista para a Rádio Cámara — a mídia oficial da Câmara dos Deputados. “Será uma moeda no país como em outros países”, disse ele, provavelmente aludindo à maneira como os países latino-americanos gostam El Salvador adotaram o Bitcoin ultimamente.

O projeto de lei de Ribeiro substituiria uma proposta inicialmente apresentada pelo deputado Expedito Netto. Ribeiro ampliou o projeto de Netto e esclareceu temas específicos e polêmicos, incluindo a isenção de “pontos de recompensa” a partir da definição de ativos virtuais.

Brasil quer vencer a corrida do Bitcoin

O Brasil é um dos países mais avançados do mundo no que diz respeito à disponibilidade de produtos de investimento focados em criptomoedas. A bolsa de valores do país lista atualmente quatro ETFs de criptomoedas. Além disso HASH11 — que segue o Nasdaq Crypto Index Fund — cresceu para se tornar um dos ETFs mais negociados no Brasil.

Os brasileiros também podem investir em dois outros ETFs de Bitcoin e um ETF Ethereum. Há também vários fundos mútuos administrados pela Hashdex e BLP disponíveis para investidores de varejo e profissionais.

Além do Brasil, os únicos países da região latino-americana e caribenha que aprovaram ETFs de criptomoedas para negociação são o Chile e Bermudas.

No início deste ano, o Banco Central do Brasil desenvolveu uma plataforma que possibilitou transações gratuitas e instantâneas disponíveis 24 horas por dia, que os observadores do setor cripto viam como um prejuízo à proposta de valor das criptomoedas. O presidente do banco acrescentou mais recentemente que o país pretende emitir um moeda digital do Banco Central em algum momento de 2022.

Ribero acredita que o Bitcoin poderia ser reconhecido como uma moeda de pagamento já neste ano se tudo correr de acordo com o plano.



Fonte: decrypt.co

Comments (No)

Leave a Reply