Idosa de 82 anos usa NFT para comprar 20% de apartamento no RS e vai receber valor proporcional dos aluguéis

Lenita Ruschel, de 82 anos, é uma gaúcha que comanda uma escola de ballet em Porto Alegre, há 5 décadas, e estava em busca de um imóvel na cidade, segundo o G1, para alugar ou comprar.

Ela não tinha o valor total necessário e ouviu de uma imobiliária uma proposta tentadora: comprar parte do imóvel e receber um aluguel proporcional.

Ao G1, ela disse:

“Eu conhecia algumas pessoas na imobiliária que são de minha confiança e elas me explicaram como funcionava. Dá a oportunidade das pessoas comprarem pelo menos uma parte se não puderem comprar tudo e já saírem ganhando sem se endividar. Aceitei na hora. Conversamos em um dia e, no outro, já fechamos o negócio.”

A aquisição de 20% do foi feita através de NFTs – “Token não-fungível”, na sigla em inglês. 

O pagamento foi feito via PIX e ela passou a ter direito a 20% do valor de locação.

A plataforma Imovelweb, focada na negociação de imóveis para aluguel e aquisição, se juntou com a Netspaces para lançar os primeiros imóveis digitalizados do Brasil.

Como publicou o Cointelegraph, a Tokenização de bens reais no Brasil avança sobre vários setores, como o mercado imobiliário.

A tokenização nada mais é do que vincular um imóvel a um token não fungível, incluindo a sua escritura em um contrato inteligente registrado em uma blockchain. 

Mais do que apenas um certificado de propriedade, o contrato também estabelece as regras de comercialização e compensações financeiras relativas ao imóvel. 

Quando alguém compra esse token único e exclusivo, fica registrado que esta pessoa torna-se proprietária do imóvel representado por aquele NFT.

Além de desburocratizar o processo para aquisição de imóveis, a tokenização permite a experimentação de novas formas de propriedade e de comercialização de ativos imobiliários. 

Como já vem sendo experimentado em outros países, a tokenização permite o fracionamento da propriedade. Assim, torna-se possível comprar apenas partes de um imóvel.

A Imovelweb está começando a testar a primeira experiência nesse sentido com a comercialização de 16 apartamentos residenciais em Porto Alegre. Cada unidade custará aproximadamente R$ 600.000.

A tokenização vai permitir que o comprador não precise pagar o valor total à vista ou mesmo financiar o pagamento do imóvel. 

A proposta da Imovelweb estipula que os compradores paguem apenas 20% do imóvel em um primeiro momento, mantendo a possibilidade de adquirir o restante em uma ou mais parcelas a serem pagas a cada 12 meses, ao longo de um período máximo de 10 anos.

Embora fora do país já seja comum o fracionamento de imóveis, permitindo que uma unidade tenha mais de um proprietário, a Imovelweb estabeleceu que neste primeiro lançamento os imoveis poderão ser vendidos a uma única pessoa. 

Embora não se tornem proprietários integrais do imóvel, após a quitação da primeira parcela os compradores poderão utilizá-lo da forma que lhes for mais conveniente, morando nele ou alugando-o. Em ambos os casos, a administração ficará a cargo da Imovelweb.

Optando por morar no apartamento, os novos proprietários terão que pagar um aluguel fixo determinado pela empresa. Neste caso, uma parte do valor do aluguel proporcional ao percentual do imóvel que já é da propriedade do comprador será devolvido à sua conta todo mês, como uma espécie de cashback. Pode parecer estranho, mas é como se se estivesse pagando aluguel para si próprio.

De acordo com o contrato, a Imovelweb determinou que o aluguel cobrado será de 0,5% sobre o valor integral da propriedade. Uma vez que este é de R$ 600 mil, o aluguel mensal terá um custo de R$ 3 mil. Taxas de condomínio e IPTU são despezas à parte que naturalmente cabem ao morador.

Assim, no primeiro ano, quando o comprador poderá ter no máximo 20% do total da propriedade, todo mês ele receberá de volta 20% do total pago, ou seja, R$ 600. À medida que ele comprar mais frações do token do imóvel, maior será o percentual a ser recebido.

No modelo de negócios projetado pela Imovelweb não há financiamento nem juros são cobrados. Porém, a transmissão do imóvel, com a escritura no nome do comprador, só será concretizada quando a quitação do valor total estiver completa, tal qual em um financiamento imobiliário tradicional. 

Enquanto o contratante não quitar integralmente o valor devido, o imóvel fica alienado e a instituição financeira legalmente é a proprietária do bem. No caso, a Imovelweb.

LEIA TAMBÉM:

Direcione seus links para OKEx em artigos, blogs e vídeos, ou coloque anúncio em seu site. O melhor programa de afiliados está na OKEx com comissões de 60%, as mais altas do mercado.

Obtenha seu link agora na OKEx!



Fonte: cointelegraph.com.br

Comments (No)

Leave a Reply