Gestores de capital com zero exposição a criptomoedas correm o risco de ficarem para trás


O risco de carreira em torno de criptomoedas está mudando para gestores de capital que não têm exposição a ativos digitais em oposição àqueles que já estão investidos, destacando uma mudança dramática na aceitação institucional do Bitcoin (BTC) e finanças descentralizadas, de acordo com o estrategista sênior de commodities da Bloomberg Mike McGlone.

A edição de novembro do Crypto Outlook da Bloomberg descreveu 2021 como apenas mais um ano de fundação para o mercado de criptomoedas, destacando ainda mais a proposta de valor de longo prazo dos ativos digitais. Nesse ambiente, os gestores de capital “correm o risco de ficar para trás e apresentar desempenho inferior ao de seus pares que possuem criptoativos”, escreveu McGlone, acrescentando:

“Nosso gráfico mostra o desempenho acima de 200% dos índices Bloomberg Galaxy Crypto e DeFi em 2021 contra o S&P 500.”

Embora as criptomoedas exibam uma volatilidade muito maior do que os investimentos tradicionais, as vendas de ativos como Bitcoin e Ether (ETH) “parecem estar atraindo compradores responsivos, muitos dos quais enfrentam o potencial de ficar para trás evitando alocações em criptomoedas.”

Os mercados em alta são sobre expectativas positivas e vemos muitas à frente para #Bitcoin e #Ethereum. O lançamento de ETFs de Bitcoin nos EUA aparece como uma iteração para chegar ao que pode facilitar para a maioria dos investidores – ETFs rastreando o mercado de cripto, como o S&P 500. pic.twitter.com/xMQtBdQ5nA

– Mike McGlone (@mikemcglone11) 25 de outubro de 2021

McGlone explicou ainda que “espera-se que os gestores captem as grandes tendências antes das massas”, um feito que se torna muito mais difícil se eles confiarem em estratégias de portfólio tradicionais, como alocar 60% em ações e 40% em títulos. Muitos gestores de patrimônio alertaram que o portfólio tradicional de 60-40 não é mais suficiente no mercado de hoje.

Como o Cointelegraph relatou no início de outubro, McGlone previu corretamente os estágios iniciais do rompimento do Bitcoin no quarto trimestre, argumentando que a resistência de US$ 50.000 provavelmente virou suporte. O analista disse que US$ 100.000 no BTC estavam em jogo para 2021 – uma visão que foi reiterada no último relatório.

No momento em que este artigo foi escrito, a criptomoeda principal valia US$ 62.080, de acordo com o Cointelegraph Markets Pro. O Bitcoin atingiu um pico acima de US$ 67.000 em outubro antes de corrigir mais abaixo.

O preço do Bitcoin permanece firmemente acima de US$60,000. Fonte: Cointelegraph Markets Pro

Espera-se que os gerentes de investimento e consultores financeiros desempenhem um papel maior no mercado de criptomoedas, de acordo com Michael Sonnenshein da Grayscale, Jeffrey Wang do Amber Group e Edouard Hindi da Tyr Capital. No primeiro trimestre, o Cointelegraph entrevistou os três executivos para avaliar o interesse institucional de investimentos em criptomoedas. Em sua opinião, o “risco de carreira” de investir em criptomoedas havia diminuiu consideravelmente. O dominó final, de acordo com Edouard Hindi, podem ser os padrões fiduciários:

“Agora que as barreiras regulatórias e de custódia estão caindo lentamente, o que ainda pode estar impedindo uma adoção mais ampla de criptomoedas por consultores financeiros é a percepção de que os ‘padrões fiduciários’ permanecem um desafio em defender abertamente que a classe de ativos seja incluída nas carteiras dos clientes. “

VEJA MAIS:

Direcione seus links para OKEx em artigos, blogs e vídeos, ou coloque anúncio em seu site. O melhor programa de afiliados está na OKEx com comissões de 60%, as mais altas do mercado.

Obtenha seu link agora na OKEx!





Fonte: cointelegraph.com.br

Comments (No)

Leave a Reply