Fundador do WeWork lança criptomoeda para negociar créditos de carbono



Adam Neumann, fundador e ex-CEO da WeWork, que renunciou em meio a controvérsias relacionadas à oferta pública inicial (ou IPO, na sigla em inglês) da empresa, lançou uma startup cripto.

Flowcarbon, seu novo empreendimento, visa levar o mercado de créditos de carbonos à blockchain. A empresa acaba de encerrar uma rodada de capital de risco de US$ 32 milhões liderada por a16z e arrecadou mais US$ 38 milhões por meio da pré-venda privada de seu Goddess Nature Token (GNT).

O token é lastreado em um conjunto de créditos de compensação de carbono certificados e emitidos por projetos desenvolvidos em meio à natureza nos últimos cinco anos, segundo a Flowcarbon. Os créditos são negociados no mercado voluntário de carbono, cuja expectativa é que chegue a US$ 700 milhões até 2027.

Os créditos são negociados até serem resgatados pelo usuário final, ou seja, aquela pessoa ou empresa poderá reivindicar o impacto ambiental da compensação. Flowcarbon alega que o token GNT pode ser vendido, usado em empréstimos ou resgatado por um crédito do mundo real.

Quando for lançado, GNT será operado na blockchain GNT. Por enquanto, o explorador de blocos apenas mostra um token GNT de testes e um GNT Plus de testes.

Nicole Shore, líder de comunicações da Flowcarbon, contou ao Decrypt via e-mail que pessoas podem se inscrever para participar da pré-venda no site da empresa.

Iniciativa de conservação

A rodada de financiamento também inclui General Catalyst — que já investiram na processadora de pagamentos Stripe e na plataforma descentralizada de músicas Audius) e a Samsung Next — investidora no Axie Infinity e Dapper Labs — e a 116 2nd Financial Services.

A 116 2nd faz parte do “family office” de Neumann, formado em outubro e responsável por gerenciar US$ 700 milhões.

Em entrevista ao The Business of Business em março, Dana Gibber, CEO da Flowcarbon, disse que a família Neumann pediu à equipe da 116 2nd criasse uma empresa que maximizasse suas iniciativas de conservação e gerasse dinheiro. O resultado é a Flowcarbon.

Neumann, junto com sua esposa Rebekah, cofundaram a empresa com Gibber, a diretora-operacional Carolina Klatt e Ilan Stern. Stern, que costumava trabalhar no family office de George Soros, deixou a General Catalyst em 2019 para liderar o family office de Neumann.

“Nos conectamos com eles por meio de seu extenso trabalho de conservação, que esteve em silêncio, mas possui muitos anos e milhões de hectares”, disse Gibber. “São ótimos parceiros.”

Neumann renunciou da WeWork em 2019 após informações na documentação da IPO de US$ 47 bilhões da empresa gerar críticas de investidores. Após sua saída, a IPO foi atrasada e oficialmente cancelada. A WeWork foi listada em bolsa em 2021 e se fundiu com a BowX Acquisition Corp., um negócio de US$ 9 bilhões.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.



Source link