executivo da Ledger explica como funciona

À medida que o staking de criptomoedas está se tornando cada vez mais popular, pode-se perguntar sobre oportunidades de staking não apenas de exchanges de criptomoedas ou carteiras de software, mas também de carteiras de hardware.

Por definição, o staking permite que os investidores ganhem criptomoedas sem vender suas participações, mas delegando criptomoedas a um validador de staking para dar suporte a uma blockchain. Originário da palavra “stake”, o processo de staking refere-se ao ganho de lucros e uma renda passiva associada de cripto por meio de um mecanismo de consenso conhecido como prova de participação (PoS), em oposição à prova de trabalho baseada em mineração ( PoW) mecanismo do Bitcoin (BTC).

Em meio à crescente popularidade do PoS, o staking vem se tornando bastante popular em exchanges de criptomoedas online e carteiras de software, com muitas plataformas de negociação adotando ativamente o recurso. Alguns fornecedores de carteira hardware também integram o recurso de staking em seus dispositivos físicos portáteis.

A Ledger, uma importante fornecedora de carteiras de criptomoedas de hardware, vem trabalhando ativamente em seus recursos de staking de criptomoedas desde o lançamento do staking em 2019.

Na segunda-feira (09/05), Ledger introduziu o staking para Solana (SOL), permitindo que os investidores ganhem SOL fazendo o stake da criptomoeda para apoiar a rede Solana.

O novo recurso de staking é ativado no aplicativo Ledger Live em cooperação com o serviço blockchain Figment, que fornece nós para staking usando o validador Ledger. A mais recente adição de staking se junta a seis moedas já disponíveis para staking no Ledger Live, incluindo Ether (ETH), Tezos (XTZ), Polkadot (DOT), Cosmos (ATOM), Algorand (ALGO) e outras.

Staking via carteiras hardware versus carteiras software e exchange

O staking de moedas por meio de uma carteira de hardware tem várias peculiaridades em comparação com o staking por meio de carteiras software ou exchanges de criptomoedas, disse Alex Zinder, chefe da Ledger Enterprise, ao Cointelegraph.

“A principal diferença entre fazer stake em uma carteira software e fazer stake em uma carteira hardware é a segurança”, disse Zinder, observando que as carteiras hardware continuam sendo a “maneira mais segura para os usuários manterem o controle total de seus ativos digitais”.

“Ao apostar com uma carteira software, você possui suas moedas, assim como suas chaves privadas, mas a segurança de suas moedas depende de uma fonte externa de segurança”, afirmou Zinder. A segurança das moedas em stake nas carteiras software depende da segurança do computador ou smartphone do usuário, acrescentou o executivo.

Em contraste com o staking em exchanges de criptomoedas, o staking por meio de carteiras hardware permite que os investidores possuam e controlem verdadeiramente suas participações em criptomoedas, além de oferecer a liberdade de escolher um validador, disse o executivo da Ledger. Por outro lado, fazer stake em uma exchange é mais fácil porque esse tipo de stake requer menos etapas a serem seguidas, observou Zinder. “Você não precisa do nível de educação necessário para escolher entre diferentes validadores”, acrescentou.

Criptomoedas sempre permanece online, mesmo em uma carteira de hardware

Como as carteiras de criptomoedas de hardware são projetadas para fornecer uma forma de armazenamento offline para criptomoedas, o processo de staking de moedas por meio dessas carteiras às vezes é chamado de “staking a frio”, em oposição a “staking online” por meio de exchanges.

Ao mesmo tempo, armazenar criptomoedas em uma carteira de hardware não significa que a criptomoeda em si esteja offline, apontou Zinder, afirmando:

“É fundamental que todos entendam que sua criptomoeda sempre permanece online na blockchain, mesmo ao utilizar uma carteira hardware. Quando falamos de carteiras hardware, estamos falando de chaves privadas que são armazenadas em um chip seguro na carteira hardware.”

“Ao assinar uma transação, como delegar suas moedas a um validador, essa mensagem é transmitida pelo elemento seguro, assinada na Nano e depois enviada para o blockchain”, acrescentou o executivo.

Uma carteira hardware é um tipo de carteira de criptomoedas sem custódia projetada para conceder ao usuário controle total da propriedade da criptomoeda. Ao contrário das carteiras de custódia, as carteiras sem custódia eliminam a necessidade de confiar em terceiros que podem recuperar, congelar ou apreender os criptoativos do usuário. Isso torna o usuário o único responsável por armazenar as chaves privadas para acessar os acervos de criptomoedas.

Com uma carteira hardware, o usuário obtém um dispositivo para armazenar uma carteira de criptomoedas e chaves privadas. No entanto, o usuário ainda precisa manter as chaves privadas offline com segurança.

VEJA MAIS:

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Fonte: cointelegraph.com.br