Estudo aponta manipulação em mais da metade dos tokens de Ethereum


Um estudo publicado pela Chainalysis nesta quinta-feira (1º) revela que 54% dos tokens de Ethereum, padrão ERC20, tiveram seus preços manipulados em corretoras descentralizadas.

Segundo a empresa de análise, os padrões parecem um “pump & dump”, ou seja, um esquema que visa inflar o preço de um ativo para atrair vítimas e então derrubá-lo logo na sequência através de vendas massivas.

Embora os dados pudessem ser usados contra corretoras descentralizadas, a Chainalysis destaca que o volume de transações nesses golpes representa apenas 1,3% do total. Portanto, essas tecnologias são legítimas e necessárias.

Mais de 370.000 tokens de Ethereum foram criados em 2023 e a maioria passou por manipulação de preço, aponta Chainalysis

Dados do CoinMarketCap revelam que existem 2,2 milhões de criptomoedas no mercado atualmente. A maioria delas não está em corretoras centralizadas, mas sim nas descentralizadas, área onde a Chainalysis efetuou seus estudos sobre manipulação.

“Entre janeiro e dezembro de 2023, pouco mais de 370 mil tokens foram lançados no Ethereum, dos quais aproximadamente 168.600 estavam disponíveis para negociação em pelo menos uma exchange descentralizada (DEX)”, apontou a Chainalysis.

Criação de tokens na rede Ethereum atingiu seu pico em maio de 2023, quando quase 50.000 criptomoedas foram lançadas. Fonte: Chainalysis.

Apesar do grande número, poucos projetos são dignos de menção. Além disso, a Chainalysis destaca que a maioria deles passou por manipulações de preços.

Como destaque, a empresa de análise descreve o sistema usado pelos golpistas que, após lançarem ou comprarem uma moeda, divulgam o projeto nas redes sociais com promessas de enriquecimento rápido. Caso tenham sucesso e a criptomoeda valorize, eles então liquidam suas posições para obter lucro.

Número de tokens na rede Ethereum que passaram por possível manipulações de preço. Fonte: Chainalysis.

“Esta metodologia não significa que estes tokens tenham sido objeto de esquemas de pump and dump — em vez disso, ilustra como os operadores ou reguladores podem aproveitar os dados comerciais on-chain para identificar e priorizar padrões que possam sugerir atividades ilícitas e justificar uma investigação mais aprofundada”, pontuou a empresa de análise.

Finalizando, a Chainalysis afirma que os golpistas embolsaram R$ 1,18 bihão (US$ 241,6 milhões) com esses esquemas apenas no ano de 2023. Todavia, destaca que custos de operação, como taxas ligadas a prática de wash trading para criar um volume falso, não foram contabilizados.

Golpistas possuem diversos gastos para promover golpes de pump & dump, incluindo a prática de wash trading, ficando difícil estimar o lucro verdadeiro por trás da operação. Fonte: Chainalysis.

Volume é pequeno quando analisado o setor de finanças descentralizadas (DeFi) por completo

Por fim, mesmo que corretoras descentralizadas não possuam nenhum critério de avaliação para listagem de criptomoedas, já que isso ocorre automaticamente, a maioria do volume de negociações é legítimo.

No mesmo estudo, a Chainalysis revela que os golpes acima representam apenas 1,3% do volume total dessas corretoras. Ou seja, esses serviços de trocas não devem ser interpretados como ferramentas ruins.

“Em 2023, o volume de transações feitas com tokens que atendem ao Critério A [esquemas de pump & dump] representou apenas 1,3% do volume total de negociações em DEXes (corretoras descentralizas) de Ethereum.”

De qualquer forma, investidores devem estar atentos ao negociar em tais ambientes. Afinal, já que não são controlados, golpistas podem até mesmo personificar outros projetos famosos, copiando seus nomes e outros detalhes para enganar suas vítimas em potencial.

Fonte: Estudo aponta manipulação em mais da metade dos tokens de Ethereum

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.





Fonte: cointimes.com.br