Entenda por que o Terra (LUNA) entrou em colapso


A startup ZenGo, administradora de carteiras digitais não custodiais, publicou nesta quarta-feira (11) uma sequência de 16 tweets elencando o passo a passo que resultou no colapso da criptomoeda Terra (LUNA) que operava em queda de mais 95%, sendo negociada por US$ 1,19. O que afetou a paridade com o dólar americano da stabecoin que opera no ecossistema, o TerraUSD (UST), que era negociado a US$ 0,65 e registrava queda de quase 30% em 24 horas.  

Gráfico de 24 horas do par LUNA/USD. Fonte: CoinMarketCap

Aos seus quase 12 mil seguidores no Twitter, a empresa lembrou que o objetivo de uma sabalecoin é alcançar a estabilidade de preços em relação à moeda fiduciaria na qual está lastreada, seja ela o dólar americano, euro ou o won coreano, por exemplo. 

Em relação aos meios pelos quais uma stabecoin alcança a paridade, a ZenGo destacou que o ecossistema Terra LUNA utiliza um dos três mecanismos principais para a estabilidade. No caso através de algoritmos, sem a necessidade de reserva de dólares americanos para a manutenção da estabilidade. O que, neste caso, é feito com o uso do token LUNA suavizando eventuais flutuações de curto prazo para que US$ 1 em LUNA seja equivalente a 1 UST .  

O equilíbrio é alcançado pela necessidade de troca do LUNA para a cunhagem de um valor equivalente em UST, o que regula os suprimentos e, consequentemente, mantém a estabilidade da stablecoin.  

O mecanismo faz com que os eventuais aumentos de demanda por UST sejam imediatamente sucedidos de troca por LUNA a fim de os investidores obterem um lucro de arbitragem rápido e ajudarem a diluir a oferta para reequilibrar o preço. Da mesma forma que, quando o UST está cotado abaixo de US$ 1, o valor é imediatamente reequilibrado pelo lucro de arbitragem através do LUNA, que, neste caso, serve para reajustar para cima a stablecoin.

No último dia 9, o preço do LUNA começou a cair rapidamente por causa da liquidação de empréstimos que podem ser explicados pela utilização do token como garantia de pagamento segundo esclareceu a ZenGo.  

A pressão sobre o criptoativo começou a aumentar porque, com a liquidações, a garantia de empréstimos começou a se aproximar do próprio empréstimo levando o protocolo a vender LUNA para cobrir o saldo, o que retroalimentou a queda da criptomoeda.  

Ao mesmo tempo, o aumento das vendas de criptomoedas em dólares provocou redução na demanda de UST, provocando uma queda no preço da stablecoin em um momento LUNA suficiente para reequilibrar para cima o valor do UST, no caso a troca por US$ 1 por parte dos detentores de UST.  

Desde então, o ecossistema Terra testemunhou uma venda massiva de UST, pressão que derrubou a stablecoin para US$ 0,74 em um intervalo de 12 horas. Por outro lado, a Luna Foundation Guard (LFG), detentora de grande quantidade de Bitcoin (BTC), supostamente utilizou uma reserva de 42,5 mil BTC, cerca de US$ 1,4 bilhão, como medida para a manutenção da estabilidade.  Em março, a LFG também recebeu US$ 1,1 bilhão da Terraform Labs a título de reserva. 

Gráfico de 7 dias do par UST/USD. Fonte: CoinMarketCap 

Mas a maior criptomoeda do mercado também registrou quedas expressivas, esbarrando, inclusive, no suporte de US$ 29 mil e com baixa em torno de – 6,5% nas últimas 24 horas, conforme noticiou o Cointelegraph.  

 

LEIA MAIS:

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Fonte: cointelegraph.com.br