Entenda como o Bitcoin pode ser a salvação da dívida pública para países


Foto: Dado Ruvic / Reuters

Você provavelmente já ouviu falar que El Salvador está emitindo títulos de dívida baseados em bitcoin. Hoje, o ministro das Finanças de El Salvador, Alejandro Zelaya, informou que o governo estará enviando cerca de 20 leis para dar clareza legal aos “Bitcoin Bonds”.

Como explicamos anteriormente, os títulos de bitcoin do país, anunciados em novembro de 2021, representam uma forma de investimento na “Bitcoin City”, a cidade baseada em BTC de El Salvador, que usará a energia de vulcões para minerar bitcoin.

Para o pequeno país da América Latina, porém, o bitcoin pode acabar sendo a salvação de todas as suas dívidas públicas. É nisso que especialistas como Max Keiser, jornalista e entusiasta do bitcoin desde 2011, e Paolo Ardoino, CTO da Bitfinex e Tether, acreditam.

Em entrevista ao The Pomp Podcast, Max Keiser e sua esposa Stacy Herber disseram que vão investir nos títulos, pois os rendimentos batem a inflação e ainda podem ganhar com a valorização do bitcoin. Mas para além dos números, os títulos de Bitcoin representam um momento histórico.

“Da última vez que chequei, eles [El Salvador] tinham aproximadamente US$20 bilhões em dívida. Eu acho que eles podem se livrar da dívida nos próximos 10 anos ao vender esses ‘títulos de vulcão’.

Você mesmo [Anthony Pompliano], eu acredito, disse no Twitter que acreditava que esses títulos teriam um excesso de inscrições [ou seja, teriam uma demanda superior ao limite esperado de US$1 bilhão] e eu concordo contigo nisso.

É um fantástico título e eles poderiam vender 10 ou 20 bilhões [de dólares] em um mundo com um quatrilhão de dólares em derivativos por aí, e pessoas desesperadas por retorno sobre investimento.”, disse Max Keiser.

Utilizando o bitcoin para reduzir seus custos para atrair capital, considerando que os títulos regulares de El Salvador pagam o dobro dos bitcoin bonds, porque não possuem o potencial de alta do BTC por trás, El Salvador poderia se ver livre do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Bitcoin, uma forma inteligente de atrair dinheiro?

Paolo Ardoino, chefe de tecnologia da exchange que vai intermediar a venda dos títulos de Bitcoin, possui uma opinião semelhante. Em entrevista ao Cointimes, ele sugeriu que se os bitcoin bonds forem um sucesso, não haveria motivos para El Salvador parar de levantar fundos adicionais.

“Se com o primeiro título eles entregarem exatamente o que prometerem, outros títulos seguirão o mesmo caminho. E a beleza disso é que todos investiram em algo que terá alto retorno para o país.

E, além disso, o dinheiro vai melhorar o turismo, infraestrutura, e todas essas coisas. Eu conheço pessoas que gostariam de comprar casas em El Salvador agora só porque podem pagar em bitcoin, pagam poucos impostos, terão residência, possivelmente cidadania…

Então essa é a forma inteligente de atrair dinheiro. E dinheiro atrai dinheiro. Então se eles jogarem com as cartas certas, e se entregarem de acordo com as promessas do primeiro título, eu acredito que Max Keiser está correto quando diz que El Salvador pode pagar todas as suas dívidas.”

Ao ser perguntado se o Bitcoin poderia ser a solução para outros países também pagarem suas dívidas, Paolo respondeu que acredita que sim.

Na opinião de Paolo, El Salvador possivelmente só estava inclinado a aceitar o bitcoin como uma moeda alternativa porque eles não tinham mais sua própria moeda soberana. “Os países com moedas locais provavelmente serão os últimos a dar alguma liberdade e permissão para o bitcoin”.

“Há países na África e na Ásia, por exemplo, que não possuem suas próprias moedas, então eles usam moedas estrangeiras. E esses são os países que definitivamente seguirão mais rapidamente o caminho de El Salvador”, concluiu Ardoino.

Veja também:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br





Fonte: cointimes.com.br

Comments (No)

Leave a Reply