Demanda atual por Bitcoin é 10 vezes maior que a oferta, diz Michael Saylor


Michael Saylor, fundador da MicroStrategy, tem sido um dos maiores advogados do Bitcoin desde que sua empresa começou a investir na criptomoeda em 2020. Em conversa com a CNBC nesta segunda-feira (12), o executivo afirmou que a demanda por BTC é 10 vezes maiores que sua oferta.

Em outras palavras, Saylor acredita que o preço do Bitcoin deve continuar subindo. O motivo dessa alta demanda seriam os ETFs, aprovados há cerca de um mês e responsáveis por entradas de bilhões de dólares no período.

Criticada por sua estratégia quando o Bitcoin estava em queda, hoje a MicroStrategy é um exemplo de que nunca é tarde para começar a investir. Afinal, a empresa começou a comprar BTC apenas em 2020, mas hoje ostenta um grande lucro.

MicroStrategy se torna empresa de desenvolvimento de Bitcoin

Embora o Bitcoin tenha caído logo após a aprovação dos ETFs, Michael Saylor explicou que esse movimento foi natural devido ao GBTC da Grayscale, mas que agora os investidores estão alinhados.

“Tiveram 10 anos de demanda reprimida, pessoas esperando por esses ETFs, e finalmente investidores tradicionais podem acessar o Bitcoin”, iniciou Saylor. “Acredito que isso esteja impulsionando o crescimento de preço.”

“Inicialmente teve um rebalanceamento, com pessoas movendo seu capital entre o mercado de futuros, [ações de] mineradoras e da MicroStrategy nos ETFs, mas, seguindo esse rebalanceamento, acredito que o ativo encontrou seu fundo e agora as pessoas estão começando a perceber que há 10 vezes mais demanda por Bitcoin vindo desses ETFs do que oferta vinda dos vendedores naturais, os mineradores.”

#Bitcoin is the world’s most popular investment asset. It is novel, digital, global, unique, and uncorrelated to traditional risk assets. That makes it a natural addition to the portfolio of a responsible investor. pic.twitter.com/ZOEVkKDh0T

— Michael Saylor⚡️ (@saylor) February 12, 2024

Embora os ETFs surjam como uma concorrente para a MicroStrategy, que até então estava servindo como um proxy de Bitcoin, Saylor mostrou que sua empresa continuará se aprofundando neste mercado enquanto busca oportunidades de crescimento.

“Vamos desenvolver software, gerar fluxo de caixa, alavancar o mercado, tudo para acumular mais bitcoins para nossos acionistas e também para promover o crescimento da rede do Bitcoin”, explicou Saylor.

“Dado que a maioria do valor de nossa empresa está relacionada a atividades ligadas ao Bitcoin, faz sentido nós nos chamarmos de ‘uma empresa de desenvolvimento de Bitcoin’, assim como fazem empresas de desenvolvimento imobiliário ou de petróleo.”

Em relação a agosto de 2020, quando a MicroStrategy fez sua primeira compra de Bitcoin, suas ações valorizaram 373%. Já o Bitcoin valorizou 309% no mesmo período.

Lucros da MicroStrategy chegam a R$ 16,5 bilhões

Michael Saylor já conhecia o Bitcoin desde 2013, mas acabou esnobando o ativo. Por conta disso, a MicroStrategy entrou tarde no mercado, pagando um preço mais caro. Cada um de seus 190.000 bitcoins foi adquirido por um preço médio de US$ 31.224, uma diferença de ~30 vezes em relação à data do tuíte abaixo.

“Os dias do Bitcoin estão contados”, disse Saylor em 2013. “Parece que é apenas uma questão de tempo até que tenha o mesmo destino dos jogos de azar online.”

#Bitcoin days are numbered. It seems like just a matter of time before it suffers the same fate as online gambling.

— Michael Saylor⚡️ (@saylor) December 19, 2013

Independente disso, a MicroStrategy é uma prova de que é melhor entrar tarde do que nunca. Com o Bitcoin chegando a US$ 50.000 nesta semana, a empresa de Saylor já apresenta um lucro de US$ 3,35 bilhões (R$ 16,5 bilhões) em seus investimentos em BTC, equivalente a 56% de lucro não-realizado.

Portanto, podemos acreditar que mais gigantes busquem alocar uma pequena quantidade de seus caixas em Bitcoin no futuro, principalmente pela facilidade de investimento que os ETFs estão proporcionando agora.

Fonte: Demanda atual por Bitcoin é 10 vezes maior que a oferta, diz Michael Saylor

Veja mais notícias sobre Bitcoin. Siga o Livecoins no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.





Fonte: cointimes.com.br