Chefe do BCE pede estrutura separada para regular empréstimos de criptomoedas

Uma semana depois que a maior plataforma americana de empréstimos de criptomoedas Celsius teve que congelar a opção de saque para seus usuários, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, expressou sua convicção sobre a necessidade de um escrutínio mais rigoroso sobre essa parte do mercado de criptomoedas.

Durante um depoimento perante o Parlamento Europeu na segunda-feira (20/06), Lagarde expressou seus pensamentos não apenas sobre a inflação iminente na Europa e em todo o mundo, mas também sobre as crescentes atividades de staking e empréstimos de criptoativos. Na opinião de Lagarde, essa tendência exige esforços regulatórios adicionais da União Europeia. Referindo-se ao grande pacote regulatório que atravessa a rotina legislativa, Markets in Crypto-Assets (MiCA), ela até cunhou o termo “MiCA II”:

“O MiCA II deve regular as atividades de staking e empréstimos de criptoativos, que definitivamente estão aumentando.”

Lagarde alertou sobre os riscos, decorrentes da falta de regulamentação neste segmento de mercado:

“Inovações nesses territórios inexplorados colocam os consumidores em risco, onde a falta de regulamentação geralmente cobre fraudes, reivindicações completamente ilegítimas sobre avaliação e, muitas vezes, especulações, além de negócios criminais.”

A oficial fez uma menção separada às finanças descentralizadas (DeFi), que, do seu ponto de vista, também representam um “risco real para a estabilidade financeira” e, portanto, devem ser abrangidas pelo quadro regulamentar separado.

Um procedimento que chamou a atenção da chefe do BCE, o staking, está disponível em protocolos de prova de participação (PoS) e permite que vários detentores de tokens de criptomoedas agrupem seus tokens, concedendo assim ao operador do pool de staking um status de validador e recompensando todas as partes interessadas com tokens pelas contribuições de seus recursos computacionais.

Lagarde é famosa por sua posição anticripto aberta e inúmeras alegações de que as criptomoedas “não valem nada” e são “lastreadas em nada”. Entretanto, a Comissão Europeia anunciou que está preparando uma proposta de euro digital para 2023. Espera-se que o BCE tenha um protótipo até ao final de 2023 e, se tudo correr bem, poderá ser emitido em 2025.

VEJA MAIS:

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Fonte: cointelegraph.com.br