CEO da Coinbase faz predições sobre o mercado cripto


Fundador e CEO da Coinbase, Brian Armstrong, está otimista sobre o futuro dos criptoativos apesar da atual retração do mercado e prevê que a economia cripto atingirá 15% do PIB global.

Em uma entrevista recente, Armstrong sugere que a economia cripto irá se expandir para cerca de 15% do produto interno bruto global nos próximos 20 anos. Para ele, “é como nos primeiros dias da Internet, em que vimos o nascimento do comércio eletrônico no final dos anos 90 e início dos anos 2000, e agora, depois de 20 anos, o comércio eletrônico, chegou perto de 15% do PIB global, eu acho.”

Seguindo esta lógica, Armstrong acredita que daqui a 20 anos, a economia cripto “provavelmente também vai representar uma grande parcela, como 15% do PIB global.” Ele acredita que, eventualmente, as corporações adotarão criptomoedas no mesmo nível em que atualmente utilizam a Internet, “a maioria das empresas acabará usando cripto de alguma forma no futuro”.

Em relação à atual queda nos mercados de cripto, Armstrong diz que o sentimento do mercado pode piorar se a tendência de queda se estender por um período mais longo, visto que “já passamos por isso diversas vezes, acho que em mercados muito novos, as pessoas ficam irracionalmente afobadas. E depois, nos mercados baixos, as pessoas ficam irracionalmente pessimistas.”

No ponto de vista do CEO, criptomoedas são uma tecnologia única que pode ser usada para criar uma boa infraestrutura financeira para as pessoas em todo o mundo, bem como “para possibilitar esta nova economia mais nativa da Internet, global, justa e livre do mundo.” Ele também apontou que a Coinbase está diversificando suas receitas, continuando a investir em novos produtos e serviços para impulsionar fluxos de receita diferenciados.

Leia mais:

Compre e venda Bitcoin e outras criptomoedas na Coinext
A corretora completa para investir com segurança e praticidade nas criptomoedas mais negociadas do mundo.
Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br





Fonte: cointimes.com.br