Canal do Flamengo no YouTube sofre hack, tem vídeos apagados e exibe falsa live de Bitcoin do CEO da MicroStrategy

Cerca de 70 mil internautas que acessavam o FlaTV, canal oficial do Flamengo no YouTube, foram surpreendidos na manhã desta segunda-feira (27) ao se depararem com uma falsa live do CEO da desenvolvedora de softwares MicroStrategy, Michael Saylor, considerado um dos maiores investidores de Bitcoin (BTC).

O vídeo, intitulado “The most GLOBAL CONFERENCE with Michael Saylor” (A maior conferência global com Michael Saylor), um deepfake do empresário, durou apenas alguns segundos, mas acabou sendo capturado e reproduzido nas redes sociais.

De acordo com o jornal Lance, os vídeos apagados do FlaTV, mais de 300 no total,  representavam cerca de um mês de conteúdo se somadas as durações de cada. O FlaTV é o principal canal audiovisual do clube carioca, com 6,5 milhões de inscritos. 

Segundo o site Mundo Rubro-Negro, foram mais de 100 mil espectadores distribuídos pelas diversas lives. Os criminosos também mudaram a imagem de perfil, apagaram vídeos antigos e trocaram imagens de capa de outras produções. 

Ao Lance, o diretor de comunicações do Flamengo, Bernardo Oliveira, confirmou o hack e disse que o clube já havia recuperado o controle do canal, além de repor os vídeos apagados. Ele disse ainda que o clube estava em contato com o YouTube pedindo explicações para o episódio. 

Quem não vai precisar promover invasão são os detentores de fan tokens do Flamengo, que terão a chance de entrar em campo em julho com ex-jogadores que foram campeões brasileiros vestindo a camisa rubro-negra em 1992, mimo concedido pela líder mundial de fan tokens esportivos, a Socios.com. Holders de criptoativos de outros gigantes do futebol brasileiro também serão beneficiados com outras experiências imersivas

Enquanto isso, longe dos gramados e perto do BTC, a chance de alta de 375% atrai investidores da MicroStrategy com o Bitcoin flertando US$ 95 mil em 2023 atrai os investidores, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil

LEIA MAIS:

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Fonte: cointelegraph.com.br