Burger King (BKBR3) diminui prejuízo em 80,7% e rombo vai para R$ 31,4 milhões – Money Times


Lanchonete do Burger King na Avenida Paulista
1T22: o Burger King (BKBR3) diminuiu seu prejuízo em 80,7% (Imagem: Money Times/Marcio Juliboni)

O Burger King (BKBR3) diminuiu seu prejuízo de R$ 162,4 milhões no 1T21 para R$ 31,4 milhões no 1T22, informou a companhia na sua divulgação de resultados trimestrais nesta quinta (12). A redução foi de 80,7%.

O Ebitda ajustado, que estava nos R$ 31,8 milhões no negativo, ganhou fôlego e foi aos R$ 101 milhões positivos. A margem foi de -5,7% para 12,6%, um acréscimo de 1830 bps.

receita líquida da empresa teve incremento de 42,4%, chegando aos R$ 801,2 milhões. O crescimento da receita dos canais digitais (delivery, totem e app) destoou, crescendo 59,3% e representando 32,6% das vendas da companhia.

Velho normal

Em carta aberta aos acionistas, o Burger King atribuiu seus resultados à recuperação da vida social de casa após o período mais intenso da pandemia.

” Neste trimestre, começamos a observar alguns milestones importantes e que certamente serão fundamentais para a recuperação do nosso nível de tráfego pré-pandemia, como por exemplo: a volta às aulas, a não obrigatoriedade do uso de máscaras e a gradual recuperação do tráfego em dias de semana com a normalização das idas aos escritórios por parte das empresas”, disse.

A empresa também comentou o destaque das vendas na rede Popeyes– uma recuperação de 60,4%.

“Popeyes segue uma trajetória ainda mais acelerada de recuperação, pois, atrelada a melhores indicadores de mobilidade, temos visto uma conversão dos níveis de preferência de marca para tráfego e frequência, o que reforça nossa confiança nessa marca e no potencial do mercado de fast food de frango no Brasil”, afirmou.

Veja o documento:


Confira aqui o calendário completo das divulgações de balanços.

Saiba mais: como declarar renda variável no imposto de renda?

Disclaimer

Money Times publica matérias de cunho jornalístico, que visam a democratização da informação. Nossas publicações devem ser compreendidas como boletins anunciadores e divulgadores, e não como uma recomendação de investimento.

Receba as newsletters do Money Times!

Cadastre-se nas nossas newsletters e esteja sempre bem informado com as notícias que enriquecem seu dia! O Money Times traz 8 curadorias que abrangem os principais temas do mercado. Faça agora seu cadastro e receba as informações diretamente no seu e-mail. É de graça!



Source link