Binance deslista Monero e provoca queda de 23%


A criptomoeda focada em privacidade, Monero, sofreu uma queda acentuada para mínimos de vários meses após o anúncio da Binance de que deslistaria o token de sua plataforma.

A Binance planeja remover o Monero, juntamente com outros tokens como Aragon (ANT), Multichain (MULTI) e Vai (VAI), em 20 de fevereiro de 2024. Como resultado, todos os pares de negociação envolvendo Monero serão removidos, afetando as negociações contra Bitcoin, Ether, Tether e o próprio BNB da Binance.

A retirada desses tokens não será suportada após 20 de maio de 2024, embora a Binance tenha mencionado que a conversão dos XMR deslistados em stablecoins em nome dos usuários após 21 de maio é uma possibilidade, mas não garantida.

Fatores por trás da decisão de deslistagem

A decisão da Binance de deslistar o XMR baseia-se em vários fatores, incluindo a contribuição para um ecossistema cripto saudável e sustentável, evidências de conduta antiética ou fraudulenta ou negligência, bem como a capacidade de resposta às solicitações periódicas de diligência da Binance.

A notícia da deslistagem levou a uma queda acentuada no preço do Monero, com o token perdendo quase 23% de seu valor em apenas algumas horas, caindo para uma baixa de US$ 127 na Binance.

Reações e implicações mais amplas

A deslistagem do Monero pela Binance não é um caso isolado; outras exchanges, como a OKX, também anunciaram planos de deslistar o Monero e outra moeda focada em privacidade, Zcash, em janeiro de 2024.

Alguns comentaristas online veem a deslistagem como um sinal negativo não apenas para o Monero, mas também para a própria Binance, sugerindo que isso poderia ser um indicativo do declínio lento da exchange.

Apesar das pressões regulatórias globais contínuas enfrentadas pela Binance, a exchange continua a operar, mesmo após o ex-CEO Changpeng Zhao se declarar culpado em um tribunal dos EUA por violar leis de combate à lavagem de dinheiro e sanções no final de 2023.





Fonte: BITNOTICIAS.COM.BR