Bilionário que alocou 50% da sua riqueza em BTC diz ainda acreditar no ativo


Bill Miller. Reprodução/Twitter.

Apesar de ter vendido uma porcentagem do seu bitcoin, Bill Miller continua acreditando nos méritos do criptoativo.           

O ex-presidente da Legg Mason Capital Management, Bill Miller, revelou que vendeu partes líquidas do seu total de bitcoin para satisfazer as chamadas de margem. No entanto, o bilionário continua sendo um grande entusiasta e defensor da moeda, descrevendo-a como um “seguro contra a catástrofe financeira.”

Bill Miller é um dos mais populares apoiadores do bitcoin, o investidor norte-americano fortaleceu ainda mais sua posição durante o surto da COVID-19 e as polêmicas sobre políticas financeiras que muitas instituições bancárias introduziram com a pandemia.

No início deste ano, Miller admitiu ter investido 50% de seu patrimônio em BTC. Ele revelou que esta não foi sua primeira compra, mas que acumulou o maior valor durante o crash da criptomoeda no ano passado, quando o bitcoin foi para US $30.000.

Em uma recente entrevista para a CNBC, Miller reafirmou sua posição, dizendo não entender os investidores que não diversificam suas carteiras com a principal criptomoeda disponível. Além disso, ele alega não estar preocupado com o contínuo declínio do mercado, afirmando que “passou por pelo menos três declínios de mais de 80%.” 

Não é a primeira vez que o Bill Miller se posiciona publicamente em favor do bitcoin. Anteriormente, Miller havia respondido críticas de Warren Buffett, o Oráculo de Omaha, defendendo o valor intrínseco do ativo.

Nos olhos do bilionário, o ativo continua sendo a ferramenta de investimento certa, pois sempre conseguiu superar suas quedas de preço. Miller ainda afirma que não sabe de “nenhum argumento bom o suficiente” que justifique não colocar “pelo menos 1% de seu patrimônio líquido em bitcoin.”

Leia também:

Compre Bitcoin na Coinext
Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br





Fonte: cointimes.com.br