Balanços asseguram semana positiva para Ibovespa apesar de ataques de Bolsonaro e deterioração fiscal – Money Times


Ibovespa
Petrobras foi essencial para a performance da bolsa paulistas nesta semana (Imagem: REUTERS/Amanda Perobelli)

O Ibovespa (IBOV) fechou em alta nesta sexta-feira, assegurando uma performance positiva no acumulado da primeira semana de agosto, que foi marcada por resultado da Petrobras (PETR4), mas também por aumento da tensão no ambiente político e do risco fiscal no Brasil.

Petrobras foi essencial para a performance da bolsa paulistas nesta semana, com resultado bem acima das previsões do mercado, além de antecipação de dividendos, mas o mercado também recebeu positivamente números de outros nomes como Itaú Unibanco, Gerdau, JHSF e Totvs.

Mas nem todos agradaram. Bradesco terminou a semana com desempenho negativo, apesar da forte alta no lucro do segundo trimestre, com agentes financeiros focando as atenções no desempenho fraco da área de seguros do banco. Braskem também acumulou queda mesmo com lucro multibilionário.

Na cena política, o presidente Jair Bolsonaro continuou atacando ministros do STF e o sistema eleitoral no país, chegando a ameaçar reagir fora dos limites da Constituição, enquanto sofreu uma derrota na defesa do retorno do voto impresso e foi incluído como um dos investigados no inquérito das fake news.

“O noticiário político está fervendo”, afirmou Leonardo Milane, sócio e economista da VLG Investimentos, ressaltando que os ataques de Bolsonaro ao TSE e os planos envolvendo os precatórios estão deixando o mercado estressado e atrapalhando um desempenho mais favorável da bolsa brasileira.

Ao mesmo tempo, o governo confirmou planos de parcelar o pagamento de precatórios – valores devidos pelo governo por derrotas definitivas na Justiça – para abrir espaço para mais despesas, incluindo aumento do Bolsa Família, movimento que o mercado considera um calote disfarçado e medida populista.

Outra sinalização negativa para a área fiscal veio com a aprovação pelo Senado de proposta que reabre um programa de regularização tributária no país, popularmente conhecido como Refis, que extrapola o que havia sido combinado com a equipe econômica.

Os primeiros dias de agosto ainda foram marcados pela aceleração do aperto monetário no país, com o Banco Central elevando a Selic em 1 ponto percentual na véspera, para 5,25% ao ano, e indicando que deve repetir a dose em setembro diante das pressões inflacionárias.

Apesar da volatilidade, os números sobre o fluxo estrangeiro no segmento Bovespa mostraram saldo positivo de 927 milhões de reais nos três primeiros pregões da semana, segundo os dados mais recentes disponibilizados pela B3, após as saídas superarem as entradas em 8,25 bilhões de reais em julho.

A safra de ofertas de ações continuou movimentada, com destaque para Raízen, que realizou o maior IPO do ano no país, em operação que movimentou 6,9 bilhões de reais. Os papéis, porém, tiveram um desempenho fraco, acumulando queda de 4% desde a estreia na quinta-feira.

A B3 também divulgou na segunda-feira a primeira prévia do Ibovespa para o último quadrimestre do ano, com as entradas de Alpargatas ON, Banco Inter PN, Banco Pan PN, Méliuz ON e Rede D’Or ON, totalizando 89 ativos de 85 empresas.

No exterior, os norte-americanos S&P 500, Nasdaq Composite e Dow Jones bateram recordes durante a semana, que fechou com números acima do esperado sobre a criação de empregos nos Estados Unidos, ajudando a amenizar preocupações com o aumento de casos de Covid-19 naquele país.

Nesta sexta-feira, o Ibovespa subiu 0,97%, a 122.810,36 pontos, acumulando alta de 0,83% na semana e no mês. No ano, avança 3,19%.

O índice Small Caps fechou a sessão com acréscimo de 0,52%, a 2.936,14 pontos, mas recuo de 0,89% na semana e mês, ajustando o desempenho positivo em 2021 para 4,03%.

O volume negociado no pregão nesta sexta-feira somou 24,1 bilhões de reais.

Destaques do Ibovespa do Acumulado do Mês:

Petrobras (PETR3) e Petrobras (PETR4) valorizam-se 5,85% e 5,50%, respectivamente, embaladas pelo forte resultado do segundo trimestre, com o lucro líquido de 42,86 bilhões de reais superando com folga as previsões de analistas.

A petrolífera também antecipou o pagamento de remuneração ao acionista referente ao exercício de 2021 no montante de 31,6 bilhões de reais. O Credit Suisse elevou a recomendação das ações para “outperform” após os dados.

Copel (CPLE5) avança 7%, tendo de pano de fundo conclusão da venda da Copel Telecom após leilão vencido pela Bordeaux Participações em novembro de 2020, com o valor final da operação em 2,5 bilhões de reais.

A Copel estima um efeito positivo de aproximadamente 1,2 bilhão de reais no resultado do terceiro trimestre. Ao Valor Econômico, nesta semana, o presidente da estatal paranaense estimou concluir a venda da distribuidora de gás Compagas no primeiro semestre de 2022.

A Copel reporta balanço do 2º trimestre na próxima semana.

Totvs (TOTS3) sobe 5,63%, em período marcado pela divulgação do balanço do segundo trimestre, com alta no lucro e desempenho influenciado pelo aumento de receitas da divisão principal de softwares de gestão, enquanto os negócios nascentes de serviços financeiros e business performance decolaram.

Após o balanço, o BTG Pactual (BPAC11) elevou o preço-alvo das ações de 38 para 45 reais e reiterou a recomendação de “compra”.

CVC Brasil (CVCB3) cai 7,76%, ampliando a correção desde o final de junho, após quatro meses consecutivos de valorização, em meio ao noticiário mais negativo sobre a pandemia de Covid-19 no mundo, particularmente a disseminação da variante Delta do coronavírus.

No ano, as ações ainda acumulam uma valorização de quase 4%. A operadora de turismo apresenta seu desempenho do segundo trimestre na próxima sexta-feira.

Ecorodovias (ECOR3) perde 6,51% em agosto, engatando o terceiro mês consecutivo com desempenho negativo, com os papéis sofrendo desde a oferta subsequente de ações realizada em junho.

Nem o salto no lucro do segundo trimestre, com a retomada do tráfego nas concessões da empresa para níveis anteriores aos da pandemia da Covid-19, freou o ajuste.

O movimento ainda teve de pano de fundo mais recentemente o aumento nas taxas futuras de juros no Brasil.

Localiza (RENT3) recua 6,28%, dando continuidade ao declínio que marcou o final do mês passado, mesmo após divulgar um lucro quase cinco vezes maior no segundo trimestre, enquanto analistas chamaram a atenção para o volume mais fraco no segmento de aluguel de veículos (RaC) e na dinâmica da margem. Investidores seguem na expectativa do parecer final do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a proposta de compra da Unidas pela companhia.

Unidas (LCAM3) cai 5,11% no mês.

Veja o comportamento dos principais índices setoriais na B3 no acumulado do mês:

– Índice financeiro: +1,41%

– Índice de consumo: -0,02%

– Índice de Energia Elétrica: +0,33%

– Índice de materiais básicos: -0,09%

– Índice do setor industrial: +0,83%

– Índice imobiliário: -1,76%

– Índice de utilidade pública: +0,65%

Gostou desta notícia? Baixe o nosso app para ler, em apenas um clique, esta e mais de 150 matérias diárias.



Source link

Comments (No)

Leave a Reply