Apostas contra criptomoedas na bolsa dos EUA rendem lucros de até 130% aos investidores

Se no ano passado quem investiu em criptomoedas obteve ganhos exponenciais que nenhuma outra classe de ativos foi capaz de proporcionar, em 2022 os investidores que apostaram na queda do mercado, montando posições vendidas de ações de empresas do setor, são aqueles que têm garantido os melhores retornos até agora, informou reportagem da Bloomberg publicada na terça-feira, 21.

Operar com posições vendidas é uma estratégia também conhecida como venda a descoberto, que consiste na venda de uma ação que o investidor não possui na carteira. Assim, é preciso alugar a ação para vendê-la e então recomprá-la a preço mais baixo antes de devolvê-la ao seu proprietário, embolsando os lucros da operação.

É verdade que todos que venderam ativos de risco a descoberto este ano estão no lucro, mas os investidores que apostaram na queda de ações de empresas de criptomoedas contabilizam rendimentos de até 130%, de acordo com dados compilados pela S3, uma firma especializada em análise de dados do setor de tecnologia sediada nos EUA.

A título de comparação, posições vendidas de ações de empresas de software e veículos automotivos, em média, geraram lucros de 50% para investidores vendidos, enquanto que apostas contra ações de gigantes dos setores de varejo, mídia e entretenimento, renderam, em média, 46%.

As ações ligadas à indústria de criptomoedas vêm liderando as perdas até aqui, refletindo o estado geral do mercado de criptomoedas. Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH), as duas maiores criptomoedas em termos de capitalização de mercado, acumulam perdas de 56,82% e de 70,84%, respectivamente, desde o começo de 2022.

Por sua vez, as ações da exchange de criptomoedas Coinbase desvalorizaram quase 80%, enquanto as ações da MicroStrategy, responsável pelo GBTC (Grayscale Bitcoin Trust), caíram 56,69%, equiparando as perdas do Bitcoin.

Não por acaso, Coinbase e MicroStrategy concentram o maior volume de posições vendidas no mercado. A exchange responde por US$ 1,38 bilhão, o que significa que 15% das ações da empresa em circulação estão atreladas a posições vendidas. Enquanto a MicroStrategy responde por US$ 537 milhões – 27% do total de suas ações disponíveis no mercado. 

Abaixo delas, vem três empresas de mineração de Bitcoin de capital aberto: a Marathon Digital, a Riot Blockchain e a Hut 8 Mining. Nenhum outro setor se compara ao de criptomoedas em volume de posições vendidas, segundo os dados da S3.

Bitcoin no mercado à vista

De volta ao mercado de criptomoedas, o Bitcoin opera estável no início da tarde desta quinta-feira, 23. Cotado a US$ 20.320, registra alta intradiária de 1,1%, de acordo com dados do CoinGecko.

No entanto, os traders estão aguardando o vencimento de opções de Bitcoin que somam US$ 2,25 bilhões nesta sexta-feira, 24, para colher evidências sobre os rumos do mercado no curto prazo. 

Os ursos precisam empurrar o preço abaixo de US$ 20.000 em 24 de junho para garantir um lucro de US$ 620 milhões. Por outro lado, o melhor cenário para os touros requer um salto acima de US$ 22.000 para reduzir as perdas em US$ 140 milhões. Portanto, novas quedas abaixo do suporte de US$ 20.000 ainda não podem ser descartadas, conforme noticiou o Cointelegraph Brasil recentemente.

LEIA MAIS

Siga-nos nas redes sociais

Siga nosso perfil no Instagram e no Telegram para receber notícias em primeira mão!





Fonte: cointelegraph.com.br